Além da Black Friday, uma das mais importantes datas do varejo, em 2022, ela terá um concorrente que pode ou não ajudá-la: a Copa do Mundo. Enquanto a data comercial está marcada para o dia 25 de novembro, um dia antes, a seleção brasileira estreará no campeonato. 

Conforme o relatório “Black Friday e os impactos da Copa”, elaborado pelo Google, 86% dos brasileiros pretendem acompanhar os jogos e destes, 66% desejam comprar algum produto pensando nos jogos. 

A partir destes dados, é possível entender que produtos ligados aos jogos podem ter grande apelo na Black Friday. Mas é preciso antecipar os investimentos em mídia devido à Copa do Mundo da Fifa? 

Com certeza! Somente no primeiro semestre deste ano, campanhas voltadas à Black Friday já produziram 1 bilhão de impressões, segundo levantamento AD Intel da Nielsen. 

Escalação Black Friday x Copa do Mundo 

A pesquisa do Google também revelou que 61% dos consumidores compram sempre ou quase sempre na Black Friday.  

Mas entenda que o pulo do gato para a sua estratégia de mídia considerando as duas datas neste ano não será o volume de cliques, mas justamente a jornada deste consumidor e no comportamento de busca.  

Então, na hora de escalar quais ações serão mais efetivas, esteja preparado para um maior volume de buscas mobile, especialmente na quinta (dia do jogo). 

Arquibancada de vendas 

A pesquisa do Google ainda revelou que os produtos buscados podem ser influenciados pela proximidade dos jogos em quatro situações: preparando a casa, entrando no clima da Copa, se preparando para a festa e celebrando. 

Por isso, além da Black Friday, seu negócio pode aproveitar para estender as vendas enquanto o Brasil estiver na competição, já que o clima de celebração influencia na disposição de compra. 

Para que as campanhas tenham mais chance de sucesso, incluindo a data varejista, o Google separou cinco momentos importantes de compra dos consumidores. São eles: 

  • Momento único: categorias que aceleram antes e durante a Copa, mas retraem após os jogos. Ex.: televisores e equipamentos de vídeo. 
  • Impulsionadas: produtos que aceleram antes, durante e depois dos jogos. Ex.: esporte e lazer, eletrodomésticos, alimentos e higiene pessoal. 
  • Vale Copa: itens que aceleram antes e depois da Copa, porém retraem durante os jogos. Ex.: áudio, tablets, computadores, utilidades domésticas, instrumentos musicais, câmeras filmadoras, móveis, decoração e eletroportáteis. 
  • Aquecimento: categorias que aceleram antes da Copa e depois retraem. Ex.: acessórios de informática, acessórios de moda e bebidas. 
  • Pós-jogo: estes produtos ficam estáveis ou retraem no período pré-Copa e aceleram no pós-jogos. Ex.: celulares, limpeza, automotivo e limpeza. 

Escolha os setores que mais fazem sentido para o seu negócio na época em questão e aposte em anúncios mais direcionados ao momento do consumidor. 

Plano tático 

Se o grande desafio da Black Friday 2022 está na construção da jornada do consumidor até a data, é preciso usar estratégias que mobilizem o desejo. Segundo o Google, o humor mais festivo deve ajudar nesta motivação. 

Para isso, algumas recomendações são importantes, segundo o momento do cliente, como: 

  • Segurança na tomada de decisão: investir em lives e conteúdos, multisearch (Google) e construção de base apps. 
  • Trabalhar diferenciação: apostar em reputação/reviews, motivos para comprar, alavancas de lealdade e engajamento de base. 
  • Hora da verdade. Fechar a compra na Black Friday: mostrar as melhores ofertas para a BF, forte presença em performance e remover fricção na UX. 

E para manter as chances de vendas impulsionadas pela Black Friday depois da data, é preciso manter os investimentos em mídia, mesmo em períodos de recesso. 

O Google afirma que a maioria dos anunciantes vai focar em preço, por isso, é importante entender como promover os diferenciais de marca em um momento tão crucial para as vendas. 

Influenciadores  

Apostar em influenciadores para ajudar a alavancar as vendas pode ser uma boa estratégia, uma vez que segundo a Nielsen, 36% dos brasileiros alegam terem comprado algum produto promovido por influenciadores. 

Além disso, 2 em cada 10 brasileiros que estão ativos no mercado de trabalho afirmam consumir conteúdos digitais produzidos por influenciadores. 

Brandformance 

A combinação do tipo de anúncio certo com o canal ideal pode fortalecer sua marca e suas vendas, como é possível ver no gráfico abaixo, desenvolvido pela Nielsen. 

Uma estratégia que considera as jornadas mais complexas é a Brandformance, que visa unir ações de branding e performance para atingir o consumidor durante todo o caminho. 

Ao aplicar o Brandformance em eventos de grande proporção como a Black Friday, seu negócio pode obter vantagens como: 

  • Verificar se os objetivos das campanhas de branding estão sendo atingidos 
  • Otimizar campanhas em pleno curso para melhorar os resultados 
  • Evitar o desperdício de recursos com campanhas que não geram bons resultados 
  • Reconhecer melhores canais para fazer campanhas de branding  
  • Medir os resultados de campanhas de branding integradas em múltiplos canais de divulgação 

Estratégias de branding geram desejo e apresentam o propósito que fará com que os consumidores se interessem pela marca. Já as de performance se tornam mais efetivas e melhoram os dois principais indicativos: construção de marca e conversão.  

As ações de performance podem usar o material de branding para atrair estes novos clientes, ampliando o conhecimento de marca. 

A partir de uma arquitetura que conta com machine learning e outras ferramentas para buscar a melhor taxa de conversão, é possível impactar o consumidor em diferentes momentos da jornada. 

Quer saber mais sobre Brandformance? Acesse nosso e-book abaixo.

Nova call to action

Tags:
Ads e Mídia
Time MATH
Post by Time MATH
Outubro 5, 2022
Método científico aplicado em Mídia, CRM, Marketing e Tecnologia.